Governo do Estado da Bahia 7F46 na cidade de Salvador, Bahia, Brasil, por Thiago Pires. ID da foto: 10243371.
Viatran - Viação TransBrasília 5290 na cidade de Salvador, Bahia, Brasil, por Thiago Pires. ID da foto: :id.
Empresas de Transportes Santana e São Paulo 2200 na cidade de Salvador, Bahia, Brasil, por Thiago Pires. ID da foto: :id.
Viação Cidade Sol 9240 na cidade de Salvador, Bahia, Brasil, por Thiago Pires. ID da foto: :id.
Empresas de Transportes Santana e São Paulo 2390 na cidade de Salvador, Bahia, Brasil, por Thiago Pires. ID da foto: :id.
/ 470 acessos / 66 comentários / Compartilhar no WhatsApp

Governo do Estado da Bahia 7F46 em Salvador por Thiago Pires - ID:10243371

Veículo Marcopolo Torino Low Entry do Governo do Estado da Bahia, parado na garagem da Empresa Santana em Salvador.

66 comentários

  • Horst Wessel 03/08/2022 09:50

    Em que serviço o governo da Bahia pretende utilizar esses ônibus?

    • Thiago 03/08/2022 10:09

      Urbano, rodarão com integração ao metrô em dois corredores, operados pela Viação Cidade Sol. De Piatã até a Estação Pirajá, se não me engano, via Gal Costa, e da Estação Mussurunga até a Ilha de São João.

    • Horst Wessel 03/08/2022 11:24

      Quantas unidades ao todo?

      A Viação Cidade Sol não se opôs a estes ônibus do governo do estado?

    • Claiton 03/08/2022 13:01

      As linhas são Ilha de São João-Piatã via Linha Vermelha e Kartódromo-Terminal Pirajá vi Linha Azul.

      Serão 20 veículos. A VCS não se opos, ela participou da licitação feita pelo governo do estado para a operação dos veículos e foi a vencedora. Embora o TCE tenha determinado a suspensão da licitação.

    • Horst Wessel 03/08/2022 13:33

      Pois bem que o GDF poderia ter feito o mesmo. Mas em Brasília, tanto o anterior quanto o atual governador fizeram a Piracicabana, , que roda na Área 1, comprar os, seis Torinos elétricos que rodam entre a Rodoviária do Plano Piloto e a Esplanada dos Ministérios, tirando inclusive da TCB a operação da linha em questão.

    • Thiago 03/08/2022 15:24

      É bom ressaltar que a Cidade Sol pertence a um deputado (não estou querendo dizer nada com isso kk)

    • Claiton 03/08/2022 15:34

      Deputado Ronaldo Carletto.

    • Thiago 03/08/2022 15:36

      Não precisava citar nomes

    • Claiton 03/08/2022 15:47

      Não sei pq sua preocupação, haja vista que não é segredo de ninguém .

    • Thiago 03/08/2022 15:56

      Não estou preocupado não

  • Anderson 03/08/2022 11:37

    São caros mas se usados de forma adequada se pagam

    • Thiago 03/08/2022 15:23

      Acho bem difícil de se pagar

    • Anderson 03/08/2022 15:30

      Bota preço do diesel troca de óleo e 500 mil.coisas que se usa em motor a combustao

    • Thiago 03/08/2022 15:33

      Óleo e filtro são até baratos, o combustível está caro, mas mais caro ainda é a manutenção desses carros elétricos. Não tem pessoal instruído na Bahia pra mexer com eles, além de que as peças são muito mais caras e fabricadas pela BYD. Sem contar o custo energético pra abastecer esses veículos. O que não gasta com diesel, gasta com energia. Os carros nem começaram a rodar e a autorizada da Marcopolo já esteve aqui 4 vezes pra arrumar algumas coisas, imagine... Fora a aquisição desses carros que tem um valor muito mais elevado do que um à diesel.

    • Thiago 03/08/2022 15:35

      Se ilude quem acha que só motor à combustão tem peças para serem trocadas. Um motor elétrico quando falha, leva muito mais tempo, custo e habilidade pra repará-lo. E nem estou entrando no mérito da mão de obra escassa tanto pra reparar, quanto pra operar.

    • Thiago 03/08/2022 15:53

      Todos os itens citados tem períodos medidos em quilômetros para se fazer manutenção. De fato, no elétrico não temos esse tanto de equipamentos que já conhecemos e sabemos que é custoso, porém, veja a quantidade de módulos caríssimos, placas também caríssimas, sistemas elétricos mais complexos, diversos tipos de atuadores, baterias muito mais custosas, tecnologia embarcada bem mais difícil de se mexer e um tanto de outras coisas existentes. Uma vela qualquer mecânico troca, agora, vê pra mim aí quem é que faz manutenção em circuito de ônibus elétrico aqui na Bahia kkk

    • Thiago 03/08/2022 15:55

      E você foi totalmente infeliz no seu comentário, visto que ônibus não tem carburador, nem velas e cilindros não se fazem manutenção. E é óbvio que ônibus elétrico têm caixa de marcha, se não ele não se moveria pra frente ou pra trás.

    • Claiton 03/08/2022 16:00

      E vc acha mesmo que a BYD não se preparou pra isso?. Pra manutenção, pontos de recarregamento e destino das baterias ao final de sua vida útil?. Tudo isso está em contrato. Além disso, a vida útil do elétrico é maior que a do diesel pela maior robustez dos componentes.

    • Thiago 03/08/2022 16:06

      Eu acredito na maior vida útil, não acredito na manutenção mais vantajosa. Com certeza a BYD se preocupou, mas, ressalto que na Bahia não existe ninguém que mexa com esses carros. Já avisaram aqui que o técnico mais próximo está em São Paulo. Pontos de abastecimento terá, mas e o valor de cada recarga, quanto será? :D

    • Claiton 03/08/2022 16:25

      Realmente não tem velas pois é combustão interna e nem tem carburador pois o diesel usa bicos injetores controlados eletronicamente. Estava pensando em motor de carro. Erro meu.

      Quanto ao cambio, depende, não é um caixa com 6 marchas e ré cheia de componentes. É só 1 pr frente, ré e Neutro.

    • Thiago 03/08/2022 16:28

      Sim, mas não deixa de ser uma caixa de marcha com engrenagens e engates

    • Claiton 03/08/2022 16:47

      A manutenção do elétrico é mais simples. O ônibus elétrico "não tem embreagem, caixa de câmbio, cilindros, pistões, virabrequim, sistemas de refrigeração, reservatório de óleo, filtros, escapamento, tanque de combustível, correias, polias etc.". Todos esses itens necessitam de manutenção no ônibus a diesel.

    • Thiago 03/08/2022 16:56

      Repetiu o mesmo comentário

    • Claiton 03/08/2022 17:08

      Eu apaguei os componentes errados, porém, chequei aqui na página da BYD e realmente não tem cambio mesmo. Veja nesse link:
      https://www.byd.com.br/wp...2020_01-low.jpg

    • Thiago 03/08/2022 23:07

      Creio que com "sem câmbio" se refiram à ausência de troca de marchas manualmente. Perceba que ele informa "5 anos de garantia no trem de força", o trem de força nada mais é que o conjunto formado por: motor, conversor de torque, transmissão, cardam, diferencial, eixos, junta homocinética e os cubos das rodas. Pode conferir também a matéria do 4rodas sobre um chassi elétrico da própria BYD: https://quatrorodas.abril...cado-no-brasil/

    • Claiton 04/08/2022 00:11

      Se fosse isso, eles diriam câmbio automático. O trem-de-força do BYD é um pouco diferente por ter menos componentes. Geralmente as fabricantes de caminhões e ônibus tratam o trem-de-força de forma mais específica. A Scania, por exemplo, trata dessa forma: https://www.youtube.com/watch?v=cWnxHt0Idjk
      Confira a ficha técnica dele abaixo e veja se vc acha a descrição do "câmbio":
      https://www.byd.com.br/wp...v.-7.0-2022.pdf

    • Thiago 04/08/2022 00:23

      O vídeo da Scania reforça justamente o que eu disse. Ainda sobre a BYD, nesse material que você mesmo mandou, confira nas configurações do motor onde há a informação "relação de transmissão 1:22", essa é a relação entre a engrenagem motora e a movida da transmissão. Pode até ser diferente, mas ela existe, caso contrário, não seria possível alternar entre marchas à frente e ré, bem como multiplicar a força do motor, como diz o vídeo da Scania

    • Claiton 04/08/2022 01:12

      O vídeo mostrou os componentes do trem-de-força. No caso da BYD, se vc olhar onde tem o asterisco, vai encontrar como motores elétricos e caixa de redução.
      Mas vc observou que eles não mencionan número de marchas ou qualquer tipo de cambio?. Acredito que seja feito de forma eletronica ou elétrica(preciso pesquisar mais).

    • Thiago 04/08/2022 09:10

      Independente de ser eletrônica ou elétrica, precisa de algum atuador ou componente pra fazer a multiplicação da força, não acha? Não tem como vir do nada

    • André 06/08/2022 00:27

      Esses carros os motores fica na tração tipo locomotivas dois cada lado nas rodas com conversor que vai multiplicando a força não tem câmbio nem cardan

    • Thiago 06/08/2022 09:18

      O cardam foi só um exemplo dos carros à diesel. Possivelmente esse carro seja equipado com um módulo que reconheça a intenção do motorista de ir pra frente ou pra trás, através dos botões no painel, e assim ele reorienta a direção

  • Anderson 03/08/2022 16:15

    Olhando pelo lado de ser tecnologia nova mesmo pode até ser mais cara a manutenção mesmo

    • Thiago 03/08/2022 16:17

      Considere que não se tem estoque de peças, não tem distribuidoras próximas, mão de obra escassa, e o custo da recarga dessas baterias. Esses carros são bons, mas são enjoados. Quem gosta desse tipo de carro é prefeitura e governo mesmo, que faz a média com a população. As empresas querem a diesel que é bem mais simples de operar

    • Claiton 03/08/2022 16:32

      Thiago, num primeiro momento pode ser mais caro pela demanda menor. Quanto mais se populariza e se incentiva o uso, os custos vão diminuindo. É óbvio que ainda é um produto de nicho bem específico, mas já tem vários estudos apontando ser mais vantajoso a médio e longo prazos que o diesel.

    • Thiago 03/08/2022 16:35

      É vantajoso em países com temperatura agradável, países sede dessas montadoras de chassi, que podem disponibilizar peças rápido, fácil e em conta. Salvador com 20 carros, digamos 8 em cada linha em um total de 16, + 4 reservas, dois de cada linha, considerando o longo tempo de recarga, se um quebra, por algum motivo, acredita que vai ser fácil e barato de arrumar?

    • Claiton 03/08/2022 16:45

      O tempo de recarga é curto, 3 horas para 100% da carga. A questão que eu vejo é quem em se tratando de um transporte verde, não adianta ter 20 BYD em 2 linhas específicas se do outro lado tem uma AVANÇO e um EXPRESSO METROPOLITANO com carros caindo aos pedaços jogando fumaça no ar.

    • Thiago 03/08/2022 16:56

      Mas carros caindo aos pedaços e jogando fumaça no ar são os que mais dão dinheiro kkkk como eu disse, político que quer saber de carro elétrico, empresa quer saber de dinheiro. E a recarga será em torno de 5h pra mais

    • Claiton 03/08/2022 17:01

      Lógico que a empresa vai querer colocar as carroças pro povo andar e cobrando caro. Os governos tem que cobrar mesmo, mas dando incentivos, seja através de isenção de impostos, seja através de subsídios.

    • Claiton 03/08/2022 17:17

      A PDC fez um estudo com um elétrico e diz que o custo por viagem reduziu em 54%. No caso específico numa linha intermunicipal.

    • Thiago 03/08/2022 23:01

      Custo imediato ou longo prazo? Lembre que com veículos 0KM o custo também não é tão alto, exceto combustível. E lembre-se também que o custo de aquisição dos elétricos superam os à combustão

    • Claiton 04/08/2022 01:31

      Custo por viagem comparado com um veículo a diesel. A questão é principalmente o combustível mesmo e a manutenção que é mais cara ao longo da vida útil do veículo.
      https://diariodotransport...tos-por-viagem/

    • Thiago 04/08/2022 09:13

      Obvio que de imediato vai ser mais vantajoso, mas tem vários aspectos que não estão sendo levados em consideração aí. Não é simplesmente dizer que é mais em conta porque não usa diesel ou não troca um óleo

    • Claiton 04/08/2022 18:59

      A empresa fez o cálculo baseado no custo de viagem e comparou com um veículo a diesel no mesmo trajeto. A gente está falando de uma empresa de ônibus com dezenas de anos de experiência. Vc acha mesmo que um CEO de uma empresa não vai analisar todos os dados antes de chegar a uma conclusão desse tipo?. Agora vc que foi muito infeliz em dizer isso.

    • Thiago 04/08/2022 23:30

      Meu caro, você pode analisar o custo por viagem tranquilamente e sempre dará um desempenho melhor do quê o veículo à diesel. Mas, o que estou dizendo, é que tem coisas que não entram nessa conta, como, quantos anos você pretende ficar com esse veículo? Quanto os seus componentes duram? É fácil de repassar um veículo como esse em um possível estado de avaria pra alguma outra empresa? Existe mão de obra experiente para operar (dirigir) e fazer reparos nesse veículo? Essa mão de obra é mais cara? Existe distribuidora de peças desse chassi próximo à minha empresa? São inúmeras questões que, não digo que inviabilizam, mas digo que devem ser observadas. Creio que você que continua infeliz na sua fala

    • Claiton 05/08/2022 00:27

      Mas isso é uma suposição sua. Se até na compra de veículos a diesel, a empresa recebe treinamento e orientação técnica, o que faz vc pensar que veículos com uma nova tecnologia não receberia?.

      Obviamente, quando uma empresa decidir adquirir uma frota de veículos desse tipo, terá toda uma estrutura junto para apoio técnico. Logo, essa sua preocupação é desnecessária.

      E lembre-se que o diesel é um dos principais itens que interfere na planilha de cálculo de uma empresa de transportes.

    • Thiago 05/08/2022 10:19

      Não é suposição, é o que deve ir na ponta do lápis. Tenho experiência no ramo e sei o que estou falando. Não cheguei por aqui agora, como muitos no OB. Sei muito bem a composição de custos de uma empresa de transportes, e exatamente por isso estou me ousando a discutir. Certamente, se os veículo tivessem que ser próprios, a Cidade Sol não entraria nessa licitação.

  • Eron 04/08/2022 02:21

    Onibus piso baixo elétrico 0km é uma boa novidade para Salvador. Aqui em SP dizem que a Metropole Paulista comprou elétrico tbm, mas em Millennium IV e em eO500U. O futuro será desse tipo de veículo mesmo, na Alemanha por exemplo, onibus novo lá vão ser todos elétricos até a frota ficar 100% deles. Aqui no Brasil que vai demorar bem mais para vermos a maior parte da frota elétrica.

    • Claiton 04/08/2022 02:48

      Exatamente. Esses irão operar na ligação entre a Região Metropolitana de Salvador e a capital, mas no sistema de Salvador tbm terá ônibus elétrico. Serão 8 Mercedes-Eletra com carroceria Caio.

    • Thiago 04/08/2022 09:15

      A Alemanha possui bairros e estradas mais bem planejadas do que aqui no Brasil. A geração de energia lá é menos custosa, e os encargos em cima desse tipo de veículo, também. Países europeus e Estados Unidos tem uma tendência maior a ter uma operação mais eficiente com esse tipo de veículo. Creio que seja sim o nosso futuro, porém, em um momento em que os veículos sejam mais bem adaptados ao nosso normal e o custo de manutenção seja menos elevado.

    • Horst Wessel 04/08/2022 10:57

      Eu estou na expectativa de que a Pioneira, que é a empresa que opera no BRT Sul de Brasília, renove (ao menos parte dos) seus 62 articulados do Expresso DF com veículos elétricos, provavelmente sob carroceria Marcopolo.

    • Thiago 04/08/2022 11:04

      o Distríto Federal me parece ter uma estrutura legalzinha pra esses carros, exceto a temperatura. Quem sabe não façam alguma compra, por se tratar de uma área federal.

    • Horst Wessel 04/08/2022 15:32

      Thiago, nós no DF estamos a cerca de 1.200 m a cima do nível do mar, com temperaturas que costumam variar entre a mínima de 17º, 18º, podendo chegar a 35, 36º, com 39º no asfalto, dependendo da época, além de uma umidade do ar bastante baixa, sobretudo em períodos de seca, como os de agora. Caso a Pioneira venha comprar ônibus elétricos para o BRT Sul, eles terão como origem duas regiões administrativas - Gama e Santa Maria, tidas como das mais quentes do DF , onde a temperatura pode chegar a 32º durante o dia, porém com algo em torno de 10º ou até menos durante a noite e madrugada.

    • Thiago 04/08/2022 16:02

      Mas, pelo pouco que conheço do DF, e aí você pode me corrigir, creio que seja uma região mais de vale e possua poucas subidas e descidas íngremes e lugares de difícil acesso, por ser um local planejado, diferente daqui de Salvador e região metropolitana. Isso já ajuda muito

    • Claiton 04/08/2022 18:22

      Subidas e descidas não impedem do ônibus elétrico de trafegar, haja vista que são bem mais potentes e tem bem mais torque que qualquer diesel do mesmo segmento.

    • Claiton 04/08/2022 18:32

      Thiago se os países desenvolvidos "tem uma operação mais eficiente hoje" é pq partiram de um ponto e evoluíram até chegarem no nível atual. Tanto que as primeiras baterias eram mais pesadas, pouco eficientes e tinham baixa autonomia, além de demorarem mais para serem recarregadas. É preciso começar de um ponto.

      Hoje os veículos elétricos são mais caros pq tem baixa demanda, ainda são produtos de nicho. Conforme a demanda por esse tipo de veículo for aumentando, o custo de produção e o de aquisição vão diminuindo. A manutenção já é menor.

      Com relação a "bairros e estradas mais planejadas do que aqui no Brasil", isso não impede dos ônibus elétricos rodarem. Até pq, os ônibus padrons a diesel já rodam em corredores e locais específicos, com o elétrico não seria diferente.

    • Thiago 04/08/2022 23:33

      E quem aqui está dizendo que impede? Só enfatizei que, nesse caso, ajuda bastante na operação e a mesma se torna mais eficiente. Concordo que deve-se partir de algum ponto, não me oponho à isso. Só acho que as empresas não estão ligando pra isso agora, e está se tornando mais um plano político e eleitoreiro, pra fazer média com o povo. Isso é um fato.

    • Claiton 05/08/2022 00:02

      Do jeito que falou sim. Como são veículos mais potentes, a operação é até melhor. As empresas nunca vão ligar pra oferecer um transporte melhor para a população. Se dependesse delas não teríamos ar condicionado nos ônibus atualmente, por exemplo.

      A iniciativa tem que partir do poder público mesmo que tem a obrigação de cobrar de quem presta o serviço. Se depender das empresas não vai acontecer nunca.

    • Thiago 05/08/2022 00:12

      Momento algum mencionei o contrário. Agora, são mais pontentes, porém, essa potência tem um custo, que é o descarregar mais rápido da bateria, por isso digo que se tem uma mão de obra especializada justamente pra operar esse tipo de veículo. De qualquer modo, é exatamente o que disse, as empresas não ligam, porém, o poder público também não liga. A diferença é que o poder público precisa "agradar" e "surpreender" a população, nos fazer achar que eles estão fazendo algo de bom, pra que continuem no poder. Ou acha que Rui costa tomou a iniciativa de reformar a Regional/29 de março e a Gal Costa/Estação Pirajá/Jaqueira e implantar esses carros elétricos à toa? Eles tão pouco se arrombando pra poluição, tanto que, se fosse de fato importante pra eles, os circulares do CAB já seriam elétricos à muito tempo, e até hoje não são.

    • Claiton 05/08/2022 00:42

      A quantidade de baterias e as baterias em si já são dimensionadas pra isso. Além disso, os freios são regenerativos que ajudam a recarregar as baterias tbm.

      Se for olhar por esse prisma, toda iniciativa dos governos são eleitoreiras, mas não estão fazendo mais do que a obrigação, já que foram eleitos pra isso. Cabe a nós, usufruir do que for disponibilizado, afinal de contas, tudo isso está sendo feito com dinheiro de nossos impostos.

    • Thiago 05/08/2022 10:23

      Obrigado pela mesma informação diversas vezes, Mister Óbvio. "Foram eleitos para isso", mas você não acha que é precipitada a realização de feitos com o intuito não de facilitar para o cidadão, mas sim para se perpetuar? Nem sempre a atitude pode dar certo, como já vimos diversas vezes, e a criação do Sistema Integra é uma delas, a exigência de ar condicionado equipado nos veículos urbanos também é uma delas, entre várias outras

    • Claiton 05/08/2022 13:14

      Não estou sendo óbvio Mister Pessimismo, sempre repetindo que "as empresas tem que analisar", aliás, isso é ser extremamente óbvio, "tem que esperar o futuro", "não vai dar certo", baseado apenas em seu ceticismo.

      Não acho precipitado, pq pra saber se vai dar certo é preciso começar e avaliar os resultados obtidos na prática.

      Dizer que a "exigência do ar condicionado nos urbanos" foi uma decisão precipitada, é mais uma de suas declarações infelizes. Na verdade Salvador está muito atrasada com relação a outras cidades, inclusive se comparar com grandes cidades do interior de outros estado, por exemplo.

    • Thiago 05/08/2022 23:43

      Não sou pessimista e sim realisa, não estou dizendo que não vi dar certo e sim que creio não ser a melhor decisão pro momento. E reafirmo felizmente o meu comentário sobre o ar condicionado. Temos a prova viva que é a CSN falida, Plataforma se segurando para não cair e a OT Trans sobrevivendo das boas empresas que herdaram o consórcio. A obrigatoriedade de novos ônibus e com ar condicionado foram um dos fatores que levaram a decadência dos consórcios, digo dos consórcios e não do transporte. É mais que evidente que o transporte tem melhorado com essas exigências, mas devemos observar que as empresas não estão nada confortáveis operacionalmente e financeiramente com isso. Tanto que nenhuma empresa se ousa a assumir a bacia da CSN, mesmo com incentivos da prefeitura. Observe os fatos e saia do mundo perfeito de Alice

    • Horst Wessel 06/08/2022 15:53

      Thiago, diferentemente do que se pensa sobre Brasília, ela não é apenas o Plano Piloto, que, aliás, nem é tão plano assim. Mas minha maior preocupação em relação a ônibus elétrico pôr aqui é em qual linha ou trajeto ele irá rodar, já que alguns trajetos chegam a ter 50 km de distância entre um ponto e outro, portanto, 100 Km ou um pouco mais ida e volta, o que significa dizer que um veículo elétrico só faria duas viagens completas e precisaria de uma recarga de 3 A 4 horas para fazer a próxima viagem. Atualmente, os seis veículos que eu mencionei acima fazem um percurso de cerca de 12 km ida e volta, o que permite o maior aproveitamento deles ao longo do dia. E eles só trafegam em vias largas sem maiores necessidades de curvas ou coisas parecidas.

    • Thiago 08/08/2022 08:44

      Caraca bixo, então aí é grande mesmo, hein? Não imaginava isso. Mas reafirma a necessidade de se estudar antes de tomar decisões como essa. No caso mencionado por você, não vale a pena a inserção desse tipo de veículo.

    • Horst Wessel 08/08/2022 10:34

      Thiago, eu acho o contrário; vale a pena desde que se explode muito bem o trajeto e as condições em que o ônibus elétrico rodará. No caso do Distrito Federal, eu só não vejo com meus olhos e o ônibus desse ser posto em linhas de longa distância, mas acredito que ele possa rodar em linhas com 30 km ou até 40 km de duração, considerando a saída e a chegada do mesmo. A propósito, que distância esses carros elétricos da Bahia irão percorrer por viagem?

    • Thiago 08/08/2022 14:22

      Coisa de 20/25km por linha, em duas linhas. É tudo questão de planejamento, como exposto.

A publicação de comentários é exclusiva para usuários cadastrados no Ônibus Brasil. Acesse sua conta ou cadastre-se gratuitamente para interagir.

As opiniões expressas nos comentários são de total responsabilidade de seus autores. O Ônibus Brasil é uma rede social especializada em ônibus e transportes coletivos, classificada como provedor de conteúdo, de acordo com o Marco Civil da Internet Brasileira.

Parâmetros Técnicos da Câmera Fotográfica

Modelo da Câmera Fotográfica
ASUS_X017DA
Software
PPR1.180610.009.WW_Phone-16.0610.2002.94-0
Posição da Câmera
Câmera na horizontal, com a base para baixo
Data/Hora
22/07/2022 17:33:06
Fabricante da Câmera Fotográfica
asus
ISO
768
Programa de Exposição
Não definido
Abertura (fnumber)
220/100
Tempo de Exposição
1/24
Tipo de Sensor da Câmera
Sensor de área colorida de um chip
Distância Focal
4730/1000
Status do Flash
Flash não disparado, supressão forçada da luz do flash
Modo de Medição
Média Ponderada Central
Modo de Captura de Cena
Padrão
Distância Focal em Filme de 35mm
5
Data/Hora Digitalização
22/07/2022 17:33:06
Valor de Viés de Abertura
0/768
Balanço de Branco
Automático
Data/Hora Original
22/07/2022 17:33:06
Valor do Brilho
0/100
Modo de Exposição
Exposição automática
Valor de Abertura
227/100
Valor da Velocidade do Obturador
4584/1000

Texto Acessível

A imagem exibe a foto do ônibus número 7F46 que se encontra na identidade visual da empresa Governo do Estado da Bahia, de Salvador, Bahia, Brasil. A carroceria deste ônibus é do modelo Torino 2014 Low-Entry, fabricada pela encarroçadora Marcopolo. O chassi é um D9W, fabricado pela BYD. A fotografia foi publicada por Thiago Pires, em 03/08/2022 e consta como tendo sido registrada em 22/07/2022, na localidade de Salvador, Bahia, Brasil.

Referência Bibliográfica

PIRES, T. Governo do Estado da Bahia 7F46 em Salvador por Thiago Pires - ID:10243371. Ônibus Brasil, 2022. Disponível em: <https://onibusbrasil.com/thiagoitaparica/10243371> Acesso em: 15 ago 2022. As imagens exibidas no Ônibus Brasil estão sujeitas à Lei Brasileira de Direito Autoral nº 9610/98. Antes de utilizá-las, solicite permissão ao autor.

Ficha Técnica

Companhia:
Governo do Estado da Bahia Salvador, Bahia, Brasil
Numeração:
7F46
Placa:
RPG7F46
Carroceria:
Marcopolo
Torino 2014 Low-Entry
Chassi:
BYD
D9W
Local:
Salvador, Bahia, Brasil
Data:
22/07/2022 17:33:06
Autor:
Thiago Pires
Publicação:
03/08/2022 09:05