Grupo Vega, de Fortaleza, assume Viação Motta, diz mercado

Por , em 6 de dezembro de 2016.

Empresa, no entanto, não confirma informação de forma oficial ainda. Negociação teria sido pela empresa Princesa dos Inhamuns.

Ônibus da Viação Motta em viagem para Campo Grande. Foto: Stefano Rodrigues dos Santos.

Ônibus da Viação Motta em viagem para Campo Grande. Foto: Stefano Rodrigues dos Santos.

Uma das mais tradicionais empresas de ônibus do interior de São Paulo, a Viação Motta foi comprada pela companhia Princesa dos Inhamuns, do Grupo Vega, de Fortaleza.

A informação ainda corre nos bastidores do setor. Diversos interlocutores das duas empresas e que atuam no mercado em geral disseram ao Diário do Transporte que a negociação já foi formalizada.

Procurada pela reportagem, de forma oficial, a assessoria de imprensa do Grupo Vega não negou a compra, mas informou apenas que “por enquanto, não podemos confirmar essa informação”.

Desde a última quarta-feira, a equipe tenta também contato com a Viação Motta, sem sucesso, entretanto. O canal permanece aberto.

A Princesa foi fundada em 1968 e atende a 53 municípios cearenses, com destaque para linhas executivas para Crateús, Tauá São Benedito Canindé e Ipueiras. São 52 ônibus com idade média de três anos que transportam em torno de 150 mil pessoas por mês. O proprietário é Francisco Feitosa.

Já a Viação Motta foi fundada em 31 de março de 1967 na cidade de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, por Pedro Cassimiro da Motta, que morreu em 1996.

A Motta faz linhas interestaduais entre São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

LIGAÇÃO COM JACOB BARATA

O nome do empresário controlador do Grupo Vega, Francisco Feitosa, ganhou ainda mais destaque em julho de 2013, quando o casamento de seu filho, Francisco Feitosa Filho, com Beatriz Barata foi marcado por protestos. Na época, havia manifestações contra o valor das tarifas de ônibus em todo o país.

Beatriz é neta do empresário Jacob Barata, considerado Rei dos Ônibus, do Rio de Janeiro.

Na ocasião, a matéria do jornal O Globo, de 16 de julho, com o título “Famílias unidas por casamento já eram parceiras nos negócios”, mostrou a relação dos Feitosa com a família Barata antes mesmo do enlace matrimonial.

O enlace matrimonial entre Beatriz Barata e Francisco Feitosa Filho não foi a primeira união entre as famílias carioca e cearense. Em janeiro de 2008, o empresário Jacob Barata, avô de Beatriz, considerado o “Rei dos ônibus” do Rio, fundou em Fortaleza, junto com o também empresário de transportes e ex-deputado federal Francisco Feitosa, pai do noivo, a Mandacaru Administradora de Cartões S/A.

Na ata de constituição da companhia, além de Barata, aparecem mais três parentes seus, e a Jacob e Daniel Participações, que também faz parte de seu grupo. Atualmente, a Mandacaru, entre outras atividades, administra o Libercard, que pode ser utilizado para a aquisição de créditos de vale-transporte em várias cidades do Ceará.

Na composição societária da empresa, Francisco Feitosa aparece através da FF Agropecuária e Empreendimentos S/A. Fontes ouvidas pelo Globo disseram que a Mandacaru é formada pelos controladores de todas as companhias de ônibus de Fortaleza. A composição acionária seria na mesma proporção da participação dos grupos no sistema de transportes local.

A Mandacaru começou apenas como uma fornecedora de vale-refeição e outros benefícios sociais para os funcionários das empresas de coletivos. Ao menos no primeiro ano de funcionamento, Jacob Barata Filho foi um dos quatro nomeados para o Conselho de Administração, diz parte da matéria, que pode ser relembrada na íntegra aqui.

Esta publicação foi catalogada na categoria de