“Paixão pelo Coletivo” é destaque na Revista Autoesporte

Por , em 27 de maio de 2015.

A importância do hobby na discussão sobre mobilidade urbana foi um dos aspectos abordados.

Imagem de abertura da matéria “Paixão pelo Coletivo”, da Revista Autoesporte.

Imagem de abertura da matéria “Paixão pelo Coletivo”, da Revista Autoesporte.

O tema gosto por ônibus, que reúne os chamados “busólogos” – termo popular inexistente de forma oficial na língua portuguesa –, já foi abordado em diferentes meios de comunicação. Na maior parte das vezes, como algo diferente, estranho, já que realmente, apesar de muitas pessoas gostarem sim do design e do ronco dos motores dos grandes veículos de transporte coletivo, elas não configuram maioria entre a população.

No entanto, na edição deste mês da Revista Autoesporte, da Editora Globo, além, claro, do inusitado do hobby, a matéria mostra que o gosto por ônibus pode ser importante para o resgate de parte da história das cidades, já que os veículos contribuem para o desenvolvimento econômico e social ao longo do tempo, e também para as discussões sobre mobilidade urbana, uma área essencial para a qualidade de vida das pessoas.

Com texto e entrevista feitos por Daniela Saraiotto e fotos de Rafael Munhoz, a matéria traz imagens de miniaturas e entrevistas com personagens como Hélio Luiz de Oliveira, atual editor da revista especializada In Bus, e que foi projetista na encarroçadora de ônibus Thamco. Ele atuou na elaboração do famoso Thamco ODA, o ônibus de dois andares que ficou eternizado na memória de muitos paulistanos, fruto de uma exigência nos anos 1980 do emblemático prefeito de São Paulo, Jânio Quadros, e que compôs a frota da CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos, extinta empresa pública da cidade de São Paulo.

O termo busólogo nasceu com Hélio, um apaixonado e estudioso de ônibus. O apelido foi inventado pelos colegas de trabalho de Hélio, Orcars Pipers e Jean Dierckx: Bus – ônibus e logia – estudo, busologia – busólogo sendo o seu praticante.

Este repórter e o Blog Ponto de Ônibus também são citados na matéria, que traz outra curiosidade: um box sobre o ponto de ônibus, ainda em funcionamento, mais antigo da cidade, da década de 1960, na Lapa, zona oeste de São Paulo, instalado pela CMTC. A reportagem marca a edição de número 600, e traz na capa a matéria especial sobre “Qual veículo (de passeio) comprar em 2015”. Os repórteres avaliaram todos os modelos de carros até R$ 300 mil e elegeram os 14 melhores.

Matéria não mostra apenas o lado inusitado do gosto por ônibus, mas também cita a importância do resgate histórico das cidades e a oportunidade de discutir mobilidade.

Matéria não mostra apenas o lado inusitado do gosto por ônibus, mas também cita a importância do resgate histórico das cidades e a oportunidade de discutir mobilidade.

Esta publicação foi catalogada na categoria de