Viação Cometa: Poltronas de couro no Flecha Azul (1984)

Nesta edição da seção Arquivo, uma propaganda da Viação Cometa publicada na Revista Manchete do ano de 1984.

Flecha Azul da Viação Cometa em 1984.

Flecha Azul da Viação Cometa em 1984.

Era apresentado o Flecha Azul, ônibus fabricado em alumínio pela CMA – Companhia Manufatureira Auxiliar.

A CMA era uma fabricante de carrocerias de alumínio de propriedade da Cometa, cuja produção era voltada para atender à demanda de renovação de frota da própria empresa.

Durante as décadas de 1970 e 1960, a Viação Cometa foi cliente fiel da encarroçadora Ciferal, a qual produziu vários modelos de carroceria que fizeram grande sucesso na Viação Cometa. Entre elas, os modelos Papo Amarelo, Flecha de Prata e Jumbo (B, C e G), além do Turbo Jumbo.

A parceria com a Ciferal acompanhou outro grande vínculo da Viação Cometa nesta mesma época. As carrocerias produzidas pela Ciferal eram encarroçadas em chassis Scania.

Para coroar a parceria, em 1972 era apresentado no Salão do Automóvel o ônibus Ciferal Dinossauro, encarroçado sobre chassi Scania BR115 totalmente produzido no Brasil. Em 1976, os novos Dinossauros vinham com o recém lançado chassi Scania BR116 e contavam com algumas alterações estéticas, como para-choques de fibra de vidro ao invés de alumínio e também com o abandono do vidro de vigia traseiro.

Em 1979, uma nova legislação ampliou o tamanho máximo permitido para veículos de passageiro a até 13,2 metros. A partir de então, surgiu o Ciferal Dinossauro II, modelo que contava com seis janelas laterais e aproveitava seu maior comprimento a fim de maximizar a capacidade de carga, aumentando o número de poltronas no interior da carroceria.

No entanto, no início dos anos 80 a Ciferal passou a enfrentar dificuldades financeiras, vindo a entrar em concordata e encerrar suas atividades no ano de 1982.

A fim de buscar um novo meio de produzir seus ônibus, a Cometa fundava a sua própria encarroçadora, então chamada CMA. A CMA criou o seu próprio modelo de ônibus inspirado nas linhas do Ciferal Dinossauro, porém aperfeiçoando vários aspectos internos e externos da carroceria, como os bancos de couro legítimo que já estiveram presentes na primeira geração do Flecha Azul, conforme mostra a propaganda desta edição, que divulgava o início das operações do Flecha Azul na linha que ligava São Paulo a Curitiba, com o título “uma nova dimensão para sua viagem“.

Propaganda de Viação Cometa em 1984, que apresentava o Flecha Azul em seu início de operação na linha São Paulo - Curitiba. Origem: Revista Manchete (1984). Acervo: Tadeu Carnevalli.

Propaganda de Viação Cometa em 1984, que apresentava o Flecha Azul em seu início de operação na linha São Paulo – Curitiba. Origem: Revista Manchete (1984). Acervo: Tadeu Carnevalli.

Tudo azul na linha Curitiba-São Paulo-Curitiba. Já existe o Flecha Azul, da Cometa. Uma nova dimensão de conforto. O único com poltronas em couro legítimo, o que garante uma viagem muito mais agradável e higiênica. Janelas panorâmicas individuais. Suspensão a ar integral, totalmente independente e flutuante, eliminando vibrações. Motor Scania Turbo, o mais possante, proporcionando uma velocidade constante, suave. E  no comando do Flecha Azul, um especialista por vocação: o motorista da Cometa.

A propaganda é finalizada com o slogan “Flecha Azul, tudo azul na sua viagem“.

A partir de então a Cometa seguiu fabricando seus próprios ônibus de alumínio e chassi Scania, aplicando sobre os modelos várias atualizações. A última geração do Flecha Azul foi a atualização número VIII, produzida em 1999.

Em 2000 foi lançado o modelo CMA-Cometa, apelidado de “Estrelão”, mais moderno e com o motor eletrônico do chassi Scania K124, porém ainda inspirado nas linhas do clássico Flecha Azul.

Em 2001, com a compra da Cometa pelo grupo JCA, a empresa deixou de fabricar seus próprios ônibus e a CMA, que não foi incluída na compra, passou a apenas fabricar peças de reposição até o seu encerramento definitivo. No mesmo ano, a Cometa passaria a adquirir ônibus com carrocerias Marcopolo e, após quase 40 anos de parceria com a Scania, passou a receber também ônibus com chassis Mercedes-Benz e Volvo.