Mobi Brasil diz que vai aperfeiçoar Diadema

Empresa da mesma família que controla Metropolitana vai assumir maior parte dos transportes na cidade

ADAMO BAZANI – CBN

Neste sábado, dia 26 de novembro de 2011, Diadema promete entrar na história dos transportes ao ser a primeira cidade a colocar 100 por cento da frota acessível, com equipamentos para cadeirantes e portadores de limitações visuais, e zero quilômetro.
Isso foi possível graças a mudança das empresas de ônibus da cidade.
No lugar da ETCD, que teve os serviços operacionais privatizados, entra a Benfica (CONFIRA A ENTREVISTA COM O REPRESENTANTE DA EMPRESA NA MATÉRIA ABAIXO) e em vez da Imigrantes, quem vai operar é a Mobi Brasil.
O BLOG PONTO DE ÔNIBUS conversou com o responsável pela empresa em Diadema, Manoel Marinho.
Ele disse que a Mobi tem o objetivo de aumentar a qualidade do atendimento ao passageiro de Diadema.
“Nosso objetivo é expandir, para isso, temos de mostrar qualidade. O foco principal é o passageiro e o motorista deve saber bem disso pois ele é a vitrine da empresa” – disse o executivo.
A Mobi Brasil tem sido confundida com a Viação Metropolitana.
Manoel Marinho disse que a confusão se dá pelo fato de as das empresas pertencerem a mesma família, mas não são do mesmo grupo.
“São duas irmãs que possuem empresas diferentes, uma é a Viação Metropolitana, que opera também em São Paulo, no lugar da Paratodos, outra é a Mobi, que opera desde 2005, em Recife, a CRT – Cidade Recife Transportes. É uma empresa de excelência, reconhecida, e vamos trazer esta qualidade para Diadema” – explicou.
A Mobi vai servir 18 linhas com 125 ônibus.
Os investimentos para a compra dos veículos foram de R$ 30 milhões, de acordo com a companhia. Além de elevadores, espaço para cadeira de rodas e cão guia, os ônibus terão monitoramento por GPS, que vai auxiliar no controle dos serviços e em informações em tempo real para respostas rápidas, e câmeras para inibir assaltos, vandalismo e até ajudar a elucidar acidentes de trânsito.

NÃO HOUVE COMPRA DA IMIGRANTES:

Manoel Marinho contou ao BLOG PONTO DE ÔNIBUS que a Mobi não comprou a Viação Imigrantes.
“O que houve foi uma desistência da Imigrantes de operar na cidade, que comunicou ao mercado. Nós nos apresentamos como interessados” – disse Manoel.
Por conta disso, a empresa diz ter aberto processo de seleção normal de pessoal, sem a obrigatoriedade de absorver funcionários da Imigrantes.
“Mas há gente da Imigrantes que passou na seleção também” – disse.
Manoel enfatizou também que toda a tecnologia comprada pela empresa atende exigência da Prefeitura e é um instrumento para melhorar os serviços.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes