EAOSA pega fogo bem no horário de pico em Mauá

Por , em 13 de janeiro de 2011.

Motor teria explodido por conta de má conservação. Empresa diz que manutenção estava em dia

ADAMO BAZANI – CBN

Um micro-ônibus Caio Picollino da EASOA, Empresa Auto Ônibus Santo André – provocou um grande susto na noite desta segunda-feira bem no horário de pico, por volta das 18 horas, num dos lugares mais movimentados de Mauá.
Segundo relatos de funcionários da empresa, o motor começou a esquentar e apresentar problemas. Havia um forte cheiro de queimado.
Minutos depois, o veículo, que passava pela Avenida Antônia Rosa Fioravante , começou a pegar fogo. O fato ocorreu ao lado do Shopping principal da cidade.
A região parou. O susto foi muito grande.
Os ocupantes do ônibus conseguiram sair a tempo.
Os bombeiros foram chamados já que havia risco de as chamas se alastrarem para outros veículos e para rede elétrica.
A via teve de ser interditada.
As chamas se alastraram rapidamente e quando os bombeiros chegaram, o ônibus da EAOSA estava completamente destruído.
Ninguém se feriu.
De acordo com análise preliminar dos bombeiros, o ônibus apresentou um problema no motor, onde houve uma explosão.
Uma perícia será realizada para determinar quais foram as causas do incêndio, mas os bombeiros não descartam problemas de manutenção no ônibus e má conservação do veículo.
Oficialmente, por telefone, a EAOSA informou que espera o resultado da perícia e que a manutenção do veículo estava em dia.

ÔNIBUS QUEBRADOS:

Têm sido cada vez mais constantes as quebras de ônibus da EAOSA e Ribeirão Pires.
Muitas vezes, os ônibus quebram em vias de grande movimento contribuindo para longos congestionamentos.
A EMTU disse estar atenta às quebras costumeiras dos veículos. Funcionários da fiscalização do órgão estatal que gerencia e fiscaliza os ônibus intermunicipais em São Paulo, afirmaram que boa parte dos problemas se dá por conta da má conservação e da idade dos veículos;
De acordo com a EMTU, várias autuações foram feitas contra a EAOSA.
A empresa ocupa o último lugar no ranking de qualidade da EMTU.
O Governo do Estado, com a licitação da área 5, que corresponde às linhas intermunicipais do ABC, a situação melhore, inclusive nas linhas que hoje são operadas pela EASOA.
A EMTU tenta pela 4ª vez reorganizar a área, readequar as linhas, renovar a frota e extinguir o regime de permissão para concessão, mais longo e rigoroso.
Além de racionalizar as linhas, a EMTU espera que com a licitação a frota renove. A idade média dos ônibus intermunicipais do ABC beira os 10 anos, o que é muito, pois há ônibus com mais de 15 anos de uso.
Todas as outras áreas operacionais da Grande São Paulo já tiveram a licitação concluída em 2006. São consórcios que operam linhas elaboradas de maneira mais racional e com ônibus novos.
Também há uma atuação bem distribuída de cada empresa nestas áreas, muitas inclusive com viário difícil, como região de Francisco Morato e Franco da Rocha, e algumas com ônibus que circulam por longos trechos sem pegar passageiros, como em Guarulhos.
Os empresários do ABC se queixam dos custos altos de operação na região e do viário difícil, embora que boa parte das linhas intermunicipais servem ruas e avenidas com boa qualidade de asfaltamento, como Av. Capitão João, Avenida João Ramalho, Avenida Giovanni Batista Pirelli, Av. Santos Dumont, Perimtral, Avenida Dom Predo II, Avenida Goiás, além de Rua Carijós e Avenida Pereira Barreto.
A EMTU responsabiliza os empresários da região e a Associação das Empresas de Transportes Coletivos do ABC- AETC-ABC, pelos entraves à reorganização dos transportes e à renovação da frota.
O edital da área 5 já está disponível e a entrega dos envelopes deve ser dia 31 de janeiro de 2010, às 9 horas na Rua Joaquim Casemiro, 290 – Planalto, em São Bernardo do Campo.
Extra-oficialmente, a EMTU admite que a participação de outros grupos dos empresários, além dos atuais do ABC, será vista com bons olhos pelo Governo do Estado de São Paulo.

Adamo Bazani