De olho nos BRTS, Volkswagen apresenta seu primeiro chassi articulado nacional

Por , em 15 de novembro de 2010.

Veículo pertence a linha de 2012 de produtos da empresa, cuja divisão foi adquirida recentemente pela MAN. Outros modelos receberam novidades no sistema de embreagem e na capacidade de transporte.


ADAMO BAZANI/CBN

Volkswagen/MAN – Latin América apresenta o novo chassi para ônibus articulado 18-320 EOD

Volkswagen/MAN – Latin América apresenta o novo chassi para ônibus articulado 18-320 EOD

O PAC da Mobilidade Urbana e os investimentos voltados para a demanda maior de transporte urbano gerada pela Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016, provam que a tendência dos deslocamentos dentro das cidades será predominantemente formada por BRTs – Bus Rapid Transit – corredores de ônibus exclusivos, realmente segregados, modernos e com possibilidade de pré-embarque, ou seja, pagamento de passagem e acomodação melhor antes mesmo da chegada dos ônibus.
Mais da metade dos projetos das cidades que receberão jogos do mundial de futebol contempla a construção do BRT: as explicações são óbvias. Os custos para um corredor de ônibus são muito menores em relação aos gastos para a construção de um monotrilho, VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ou do metrô convencional subterrâneo. As obras são mais rápidas, mais seguras e necessitam de menos intervenções no espaço urbano já concretizado, havendo menos desapropriações e remodelações da área que receberá o modal de transporte.
A necessidade de modernização dos transportes já é antiga. Mas parece que só com os eventos esportivos mundiais é que as autoridades públicas decidiram se mobilizar. Ou seja, se o Brasil não fosse país sede destas competições ao que parece os projetos de transportes andariam lentamente como o trânsito nas grandes cidades, que sempre priorizaram o meio individual de deslocamento.
Tais projetos, mesmo sendo tarde, representam oportunidades de negócios para muitas empresas e fabricantes.
E não atender aos pedidos que serão gerados pela instalação dos BRTs seria perder o bonde da história nos ônibus do Brasil.
Por isso que a Volkswagen/MAN – Latin América, apresentou o novo chassi para ônibus articulado 18-320 EOD.
Por ser de alta demanda, a grande maioria dos corredores terá como prestadores de serviços ônibus articualdos e a marca, que quer se consolidar como vice líder no mercado e se aproximar da líder Mercedes Benz, era a única que ainda não tinha esta configuração de chassi. Volvo, Mercedes e Scania já oferecem este tipo de ônibus.
Prevista para ser vendido como linha 2012 da Volks/MAN, o chassi tem motor de 320 cavalos de potência e conta também com suspensão pneumática com sistema de ajoelhamento para facilitar embarque e desembarque, segue todas as mais modernas normas de acessibilidade e conforto e recebe carrocerias de piso alto com elevador de até 18,20 metros de comprimento.
Segundo a Assessoria de Imprensa da marca, há novidades também em outras categorias de ônibus;
Na linha de micros, o 9-150 ganha a versão Pluss, com PBT de 9,2 toneladas, o que representa mais capacidade de peso e possibilidade de receber carrocerias maiores. Os motores são Cummins e MWM.
O médio 15-190 e o convencional 17-230 receberam novas caixas de transmissão. Com isso, os frotistas podem escolher entre as marcas Eaton e ZF.
Os rodoviários 18-320 também tiveram alterações no sistema de embreagem. A troca de marchas é feita com auxílio do sistema servo-assistido, que consiste em dois cabos que reduzem o esforço do motorista nas trocas de até 60%.
A alavanca de troca foi reposicionada de acordo com a ergonomia do posto do motorista que foi atualizada.
A suspensão pneumática, amortecedores e freios foram reforçados para receber carrocerias de maior peso com mais segurança.
De acordo com a Volkswagen, o mercado de ônibus respira bons ares. Em outro, a montadora vendeu 946 chassis, é o segundo maior volume de vendas na história da empresa, que começou em 1993, com a comercialização do 16-180.
Esse volume do último mês de outro representa uma participação no mercado da marca de 31.2%.
Adamo Bazani, jornalista da CBN e busólogo.